10 de ago de 2009

Entenda o meu dia dos Pais

Ao Meu Pai, aos nossos “Paizões”...Confissões de um Amoroso Filho...

Ah! Meu/seu grande e herói Papai, que saudade de você, que saudade daquele abraço que me confortava, que saudade daqueles dias em que meu trabalhador e Caminhoneiro Pai chegava de viagem...

Ah!... Eu não me continha de saudade e saía correndo, já pulando para dentro da cabine de seu caminhão, para abraçá-lo e beijá-lo chamando, orgulhosamente, de “Meu Pai”.

Porém, este Paizão, com seus 46 anos, novo, cheio de vida, chega um dia adoentado de uma de suas longas viagens onde prontamente o levei, por sete vezes, ao pronto socorro municipal, onde em nenhuma das vezes conseguiram identificar sua doença, mesmo medicado e orientado mandavam-no “ir para casa” numa angústia cujo sentido somente sua família entendia.

Essa misteriosa e inquietante doença, por sinal muito grave, só foi descoberta ao levá-lo ao Hospital Universitário de Maringá quando não se poderia mais fazer nada... Meu Pai, Antonio Gotardo Netto de 46 anos, com uma infecção sanguínea, ficou por 10 dias internado, e no final daquela nublada e entristecida manhã, às 6h20 da manhã, eu dormindo num banco do Hospital Universitário, veio a noticia, que meu herói, meu ídolo, meu Pai acaba de se despedir desta vida para a glória de Deus.

Portanto, filhos e filhas de todo imenso e varonil Brasil e do mundo, Hoje, a este saudoso filho o que me resta, é a lembrança daquele bravo homem, que nos deixou no dia 29 de Novembro de 2006 as 6h20 da manhã. Daí, Este filho consternado sugere, valorize seu Pai, estime-o, abrace-o, não se acanhe em repousar no seu aconchegante “colinho” e diga do fundo de seu coração que você o ama muitoooooo!.

A todos os PAIS um Feliz dia dos Pais


Rafael Gotardo